Acesso público a game educativo promove ensino da arte

O jogo começa quando quatro adolescentes entram na mansão da feiticeira Quelícera, com a missão de ajudar a libertar algumas pessoas das maldades da bruxa. Enquanto eles descobrem os segredos que aquela casa guarda, conhecem mais sobre a história da arte. É essa a proposta do game educativo “A Mansão de Quelícera”, desenvolvido pelo estúdio Casthalia em parceria com o CEART/UDESC. Em 2006, foram distribuídas 10.000 cópias gratuitas para as escolas públicas de Santa Catarina e agora é possível fazer o download aqui.

O jogo, que foi testado com crianças de 9 a 14 anos durante o processo de desenvolvimento, tem feito sucesso com os estudantes. O coordenador da versão online do jogo, o professor Antonio Vargas, do departamento de Artes Visuais do CEART/UDESC, conta que “a aceitação tem sido extremamente positiva. Os alunos ficam felizes por jogar em aula e os professores pela ajuda da ferramenta para ensinar os conteúdos de história da arte”.

Mais do que um jogo divertido, o game é um recurso de “edutainment” (educação com entretenimento). Primeiro, porque requer e desenvolve as habilidades necessárias à função estética, especificamente a observação para detalhes e a interpretação de imagens poéticas. Segundo, porque todo o conteúdo visual do jogo provém da tradição artística, sendo adequado tanto para o ensino da história da arte quanto para o estudo dos fundamentos da linguagem visual.

O estúdio Casthalia, em parceria com a UDESC, está desenvolvendo uma nova versão online do game com a ajuda de um grupo de pesquisadores de arte e de design de games. O projeto é financiado pelo CNPq e os pesquisadores convidam educadores que já utilizam o jogo a enviarem críticas e sugestões para este email. As idéias serão analisadas e poderão ser incorporadas na nova versão do game, que será lançada em 2013.